Oleosidade: Como reduzir no rosto e couro cabeludo

Oleosidade: Como reduzir no rosto e couro cabeludo

A produção de sebo excessiva pode ocasionar acnes e até a dermatite seborréica. Sabemos que esse é um problema comum entre os brasileiros.

A oleosidade pode ser indicativo de maus hábitos com o corpo, principalmente de higiene, isso ocasiona por exemplo: acnes na pele e as caspas no cabelo. Para quem convive com esse problema, continue acompanhando as informações dessa matéria, afinal nela contém informações sobre o que pode causa ainda mais oleosidade na sua pele e couro cabeludo.

A Clinica de Pele Dr. Szerman explica as principais causas da oleosidade e os cuidados que você deve ter no dia a dia para reduzir esse problema.

Como surge a oleosidade?

oleosidade

A oleosidade surge da produção do sebo nas glândulas sebáceas do corpo. Sabemos que esse é um processo comum e saudável, quando equilibrado. O sebo é que uma secreção composta por triglicerídeos, colesterol e ácidos graxos (entre outros componentes) que servem para: lubrificar, alisar e proteger a pele de bactérias e outros riscos, como a poluição e a desidratação.

A oleosidade é um problema quando ocorre uma disfunção na produção do sebo e as glândulas começam a produzir sebo em excesso, trazendo o aspecto brilhoso e gorduroso no cabelo e na pele.

No geral, o problema afeta mais as mulheres do que os homens. Isso porque uma das causas da oleosidade é a alteração hormonal, comum em diversas fases da mulher, como na menstruação, gravidez e menopausa. Ainda assim, a oleosidade excessiva pode atingir qualquer pessoa.

Outra causa da oleosidade

Outra causa comum da oleosidade é a má alimentação e hidratação. Se você consome alimentos gordurosos, pouco ricos em nutrientes ou bebe pouca água, saiba que está contribuindo para as glândulas sebáceas aumentar a produção de sebo.

É importante ficar atento a esse problema, pois a oleosidade também pode estar associada a doenças. A dermatite seborreica e a pele com rosácea têm como característica a produção de oleosidade excessiva. Por isso, é essencial que cada caso seja observado e tratado sobre análise de um Dermatologista.

Dermatologista no Centro do Rio de Janeiro e Copacabana: Marque uma consulta através do WhatsApp, Clique Aqui.

O que reduz a oleosidade da pele?

Ainda que não seja o principal tratamento para diminuir a oleosidade, existem cuidados diários que ajudam a regular a produção de sebo da pele e do cabelo. Confira abaixo algumas recomendações do dermatologista da Clinica de Pele, Dr. Guilherme Szerman:

  1. Evite banho quente na cabeça e no rosto

O Dr. Guilherme Szerman explica que a temperatura do banho pode estimular a produção de sebo. A água quente retira a proteção natural da pele e do cabelo, causando ressecamento. Para reverter essa situação, as glândulas sebáceas aumentam a produção de óleo. 

Por isso, opte po um banho morno para resolver esse problema. Verifique a temperatura da água por meio do seu pulso, e se a água corrente estiver agradável (não pelando), tome seu banho tranquilamente. 

  1. Existe uma frequência ideal para lavar o cabelo e o rosto

Um erro bem comum é acreditar que lavar o rosto por mais vezes combate a oleosidade. Na verdade, essa ideia é um mito. Isso porque tudo em excesso gera efeitos inesperados, como é o caso da lavagem excessiva, que ocasiona o efeito rebote.

Quando lavamos a pele excessivamente, retiramos a proteção dela, fazendo com que o nosso organismo entenda que há uma desarmonia, desencadeando no aumento da produção de sebo para o reequilíbrio do meio. Esclarece o dermatologista  da Clínica de Pele, Dr.Guilherme Szerman. 

Quantas vezes posso lavar o rosto por dia?

Dr.Guilherme Szerman indica que a frequência ideal para lavar o rosto com sabonete não deve passar de 2x ao dia.

Quantas vezes posso lavar o cabelo por semana?

O cabelo pode ser lavado conforme a necessidade de cada pessoa. No caso do cabelo, deve-se ter mais atenção à temperatura da água e os produtos utilizados no couro cabeludo do que necessariamente a quantidade de vezes da lavagem. 

  1. Use produtos específicos para o seu tipo de pele

No geral, pessoas com peles oleosas devem optar por produtos ''oil free'', ou seja, livres de óleo e que contenham ativos como sílica, argila, zinco, alfa-hidroxiácidos e antioxidantes. Para definir qual é o seu tipo de pele, confira abaixo as classificações de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Tipos de pele

Pele Normal:

A pele normal tem textura saudável e aveludada, produzindo gordura em quantidade adequada, sem excesso de brilho ou ressecamento. Geralmente, a pele normal apresenta poros pequenos e pouco visíveis.

Pele Seca:

A perda de água em excesso caracteriza a pele seca, que normalmente tem poros poucos visíveis, pouca luminosidade e é mais propensa à descamação e vermelhidão. Também pode apresentar maior tendência ao aparecimento de pequenas linhas e fissuras.

Pele Oleosa:

Tem aspecto mais brilhante e espesso, por causa da produção de sebo maior do que o normal. Além da herança genética, contribuem para a oleosidade da pele os fatores hormonais, o excesso de sol, o estresse e uma dieta rica em alimentos com alto teor de gordura. A pele oleosa apresenta poros dilatados e maior tendência à formação de acne, de cravos e de espinhas.

Pele Mista:

É o tipo de pele mais frequente. Apresenta aspecto oleoso e poros dilatados na “zona T” (testa, nariz e queixo), podendo apresentar acne nessa região e seco nas bochechas e extremidades.

 

  1. Para os cabelos, utilize produtos que atendem a necessidade do seu fio

Ao lavar os fios, lembre-se que os cabelos oleosos precisam de uma limpeza específica. Evite utilizar shampoos com sulfato, por exemplo. Essa substância pode tornar o cabelo ressecado pois promove uma limpeza profunda, não indicada para a lavagem diária.  Além desse cuidado, é importante lembrar que produtos extremamente hidratantes devem ser passados apenas nas pontas do cabelo.

 

  1. Alimente-se bem e hidrate-se

A alimentação é um fator importante para reduzir a oleosidade da pele e do cabelo. Evite alimentos gordurosos, produtos industrializados ou que você perceba uma piora da pele. Para manter o equilíbrio da produção de sebo, lembre-se que a hidratação externa e interna também são fundamentais, pois a pele oleosa que está desidratada pode produzir ainda mais sebo para reverter esse quadro. Beba bastante água e utilize hidratantes livres de óleo. 

Consulte um Dermatologista

Somente um profissional adequado pode ajudar no tratamento da produção excessiva da oleosidade de maneira segura e eficaz. A Clinica de Pele | Dr.Szerman tem mais de 50 anos de experiência clínica com experientes profissionais na área da dermatologia. 

Saiba mais informações com os médicos da Clinica de Pele | Dr.Szerman, agende uma consulta. Estamos localizados no Centro do Rio de Janeiro, RJ e Copacabana.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *